Mathema Mathema

Como utilizar as tabelas pitagóricas em sala de aula?

Por Escrito em: 16/07/2019 | Atualizado em 03/02/2020
Compartilhe nas suas redes:

“Como utilizar as tabelas pitagóricas em sala de aula?”

Recebemos uma pergunta a respeito do trabalho com as tabelas pitagóricas: o que são? Como podemos utilizá-las nas aulas de matemática? Você já ouviu falar da tabela de multiplicação pitagórica? Dê uma olhada!


Não sabemos se foi Pitágoras quem criou essa tabela para escrever as multiplicações ou se alguém a organizou e deu-lhe o nome do famoso matemático. Mas o importante é que ela guarda muitos segredos e que com certeza podem despertar a curiosidade das crianças e envolvê-las em situações de investigação em Matemática. 


Ao problematizar a tabela pitagórica é possível levar os alunos a perceberem as regularidades presentes na organização dos fatos fundamentais da multiplicação e descobrir propriedades dessa operação. Já pensou nisso? Vamos a alguns exemplos:

Observando os números de um lado e do outro da diagonal dessa tabela, identifica-se a propriedade comutativa da multiplicação. Observe:

 

Além disso é possível ver que todos os números da última coluna terminam com zero ou que todos os números multiplicados por 1 resultam no próprio número.

Os estudantes fazem mais descobertas ainda: observam que na tabuada do 1 os produtos seguem a sequência ímpar, par, ímpar, par, ímpar, par; já na tabuada do 2 todos são pares; na tabuada do 3 a sequência volta a se repetir ímpar, par, ímpar, par; na tabuada do 4 todos são pares; na tabuada do 5 tudo volta a ser ímpar, par, ímpar, par… Há muitas descobertas que podem ser feitas nessa tabela, não é mesmo!

No processo de investigação dessa tabela, além do desenvolvimento da observação e da formulação de hipóteses, os estudantes têm oportunidade de memorizar alguns fatos por meio das relações que estabelecem entre uma tabuada e outra. Por isso esse é um valioso recurso para o ensino da multiplicação e para a formação das crianças. Explore-o!

Conta pra gente: qual sua opinião sobre esse texto?

Todos os campos devem ser preenchidos.
Seu e-mail não será publicado.

X