Mathema Mathema

“Ser professora é ser amor”, diz educadora apaixonada pela profissão

Por Escrito em: 21/11/2019
Compartilhe nas suas redes:

Por Equipe Mathema

A curitibana Juliane Serra Schunemann vive seu sonho de infância: ser professora de Educação Infantil. Desde pequena admirava seus professores, o que contribuiu para a escolha por Pedagogia. “Ser professora para mim é ser amor, é dar amor, é receber amor. E não há nada mais valoroso nesta vida que este sentimento”, diz Juliane, que tem a missão de ensinar empatia e inclusão aos seus alunos. Confira um pouco mais sobre a história desta professora:

“Nasci em Curitiba e moro até hoje nesta cidade. Sempre gostei de estudar, e como a maioria das meninas, a minha brincadeira preferida era ser professora. Dava aula para as minhas bonecas e até para as vizinhas do prédio onde passei a maior parte da minha infância. Sempre admirei minhas professoras e isso contribuiu para que aos 17 anos, prestes a fazer o vestibular, eu optasse pelo curso de Pedagogia. 

Ser professora para mim é ser amor, é dar amor, é receber amor. E ao meu entendimento não há nada mais valoroso nesta vida que este sentimento. No amor, eu ensino o que já aprendi e ainda aprendo, e vejo resultados lindos de crescimento cognitivo e emocional.

Hoje os desafios são muitos, pois lidamos com estruturas familiares não vistas tempos atrás, rotinas bem peculiares, o que, claro, impacta diretamente na educação de cada criança. 

Posso dizer que a minha maior inspiração é a escola onde trabalho. A Escola Umbrella conversa com tudo que eu acredito e também coloca o amor em primeiro lugar para o sucesso de cada criança. 

Ver os meus alunos aprendendo e se desenvolvendo emocionalmente dá uma sensação de dever cumprido, uma alegria e satisfação de saber que estou contribuindo de alguma forma na formação de seres humanos melhores.

Já o Mathema veio para agregar tudo o que relatei acima: a minha força, a minha inspiração, o meu amor pela educação pode ser somado ao trabalho sério e competente deste grupo. Crianças sendo crianças, brincando muito e aprendendo muito também em suas brincadeiras. Sou grata à Umbrella, que me apresentou ao grupo Mathema, e com esse repertório de material didático em mãos posso preparar cada criança para a vida!”

 

O que você achou da história da Juliane? Compartilhe conosco sua opinião e participe da série enviando seu depoimento para contato@mathema.com.br com o título #HistóriasdeProfessor.

 

Conta pra gente: qual sua opinião sobre esse texto?

Todos os campos devem ser preenchidos.
Seu e-mail não será publicado.

X