Mathema Mathema

Gestão financeira escolar: entenda como fazer

Por Escrito em: 08/04/2021
Compartilhe nas suas redes: [addtoany]

Tão importante quanto oferecer uma educação de qualidade aos estudantes, o gestor também precisa ter uma gestão financeira escolar eficiente para garantir o sucesso da instituição. Afinal, como a escola pode crescer se não tem recursos suficientes para investir em infraestrutura, Formação Continuada de professores e metodologias de ensino inovadoras?

Estamos falando de pontos fundamentais que permitem que a sua instituição de ensino se torne referência na qualidade da educação no mercado. Com uma gestão financeira bem estruturada, o gestor consegue tomar melhores decisões e, ainda, garantir a satisfação dos pais e estudantes.

Pensando em ajudar você, separamos algumas dicas indispensáveis para colocar em prática agora mesmo e garantir uma gestão financeira de qualidade em sua escola. Confira!

Faça um planejamento financeiro

O planejamento financeiro ajudará você a entender quais ações precisam ser tomadas para garantir um desenvolvimento sustentável da sua instituição de ensino. Isto é, por meio dele, será possível entender como a escola poderá financiar suas atividades.

Nesse momento, o gestor precisa:

  • definir suas metas e prioridades: as metas servirão como um norte para que a escola consiga alcançar seus objetivos. Já as prioridades referem-se às atividades que precisam ser colocadas em prática o quanto antes;
  • faça uma análise dos recursos disponíveis: identifique se a escola tem recursos suficientes para implementar melhorias;
  • desenvolva uma cultura preditiva: suas ações precisam ser pautadas em números e situações previamente consideradas. Isto é, seu dinheiro não será usado em destinos inesperados;
  • automatize os processos: controlar manualmente as finanças de uma escola não é nada fácil. Além disso, há muitas chances de ocorrerem equívocos e outros transtornos que prejudicam o fluxo de caixa da instituição.

Considere aspectos pedagógicos

Outro ponto muito importante que o gestor deve observar é que ele precisa vincular o planejamento financeiro com os conteúdos programáticos das disciplinas. Por exemplo, aulas de química precisam de investimentos em laboratórios e outros itens. Já as aulas de Educação Física necessitam de investimentos em artigos esportivos.

Por essa razão, também é importante se reunir com o corpo docente para entender o que eles precisam para tornar as aulas mais dinâmicas e interessantes. Aqui, vale destacar que o investimento em Formação Continuada para professores também é indispensável para gerar valor para a escola.

Lembre-se de que o reconhecimento dos serviços prestados está diretamente relacionado à inadimplência, ou seja, quanto mais alta a percepção de valor da escola, menores serão as chances de os pais atrasarem a mensalidade, por exemplo, uma vez que eles farão questão de manter o seu filho em uma escola que oferece experiências inovadoras na educação.

Reduza custos

A redução de custos é muito importante para manter um controle financeiro eficiente em sua escola. Problemas com capital de giro, por exemplo, podem estar diretamente ligados a gastos esporádicos, os quais comprometem o fluxo de caixa. Nesse momento, entender quais deles podem ser eliminados ou pelo menos reduzidos é indispensável para garantir uma gestão financeira saudável.

No entanto, a redução de custos, apesar de necessária, precisa ser realizada com muito cuidado, a fim de evitar cortes equivocados que prejudicam a qualidade do ensino e, consequentemente, a experiência dos pais e estudantes.

Dessa forma, você pode começar analisando pontos como o consumo excessivo de papel, copos descartáveis, energia elétrica e água.

Também é interessante criar uma reserva de emergência, a qual servirá para a necessidade de desembolsos com consertos urgentes na infraestrutura do local de funcionamento da escola.

Trabalhe a inadimplência de maneira adequada

A inadimplência é algo comum nas escolas, infelizmente. No entanto, é importante destacar que existem maneiras eficientes de realizar cobranças sem prejudicar o relacionamento da escola com os pais.

Primeiro, tenha em mente que existem diversos motivos para uma pessoa se tornar inadimplente e a escola precisa entender o que levou ela a chegar nessa situação na intenção de que o devedor quite seu débito sem deixar de manter o seu filho na instituição.

Feito isso, você poderá oferecer a ele meios de pagamento que estejam dentro do seu orçamento, porém, sem prejudicar o fluxo de caixa da escola — aqui, com uma boa negociação é possível chegar em um meio-termo interessante para ambas as partes.

Percebeu como não há segredos para elaborar uma gestão financeira escolar? Lembre-se de que ter em caixa recursos suficientes para investir em infraestrutura, novas metodologias e Formação Continuada de professores é fundamental para se destacar no mercado. Uma educação de qualidade exige investimentos, do contrário, sua escola apenas oferecerá “mais do mesmo”, não tendo um diferencial importante para entregar aos seus estudantes.

Com certeza, além de você, outros gestores também têm dúvidas sobre como fazer uma gestão financeira escolar eficiente.

Ajude-os a sair do vermelho e compartilhe este post nas suas redes sociais!

Conta pra gente: qual sua opinião sobre esse texto?

Todos os campos devem ser preenchidos.
Seu e-mail não será publicado.

s
X