Mathema Mathema

Alfabetização Infantil: Programa Ciranda

Por Escrito em: 20/07/2021
Compartilhe nas suas redes: [addtoany]

Há quem pense que quanto antes a alfabetização infantil ocorrer, melhor é para a criança. No entanto, não podemos esquecer de garantir a ela o direito de ser criança e permitir que ela tenha acesso a um ambiente que a proporcione experiências significativas e enriquecedoras.

Neste artigo, você entenderá o que a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) fala sobre o assunto e qual a visão do Programa Ciranda. Continue a leitura e confira!

Alfabetização Infantil e a BNCC

De acordo com o documento oficial da BNCC, o ideal é que a alfabetização infantil ocorra nos anos iniciais do Ensino Fundamental. Durante o processo de alfabetização, as crianças conhecerão o alfabeto e a mecânica da escrita e leitura. Com isso, elas aprenderão a “codificar e decodificar” fonemas em material gráfico, desenvolvendo, assim, uma consciência fonológica e o conhecimento do alfabeto em seus vários formatos — letra imprensa e cursiva e letras maiúsculas e minúsculas. Além disso, saberão estabelecer as relações grafofônicas entre esses dois sistemas de materialização da língua.

Alfabetização Infantil e o Programa Ciranda

A alfabetização no Ciranda se dá juntamente ao processo de letramento, de forma natural, o que significa que as crianças aprendem sobre o sistema de escrita a partir de textos que passam pelas diferentes propostas do Programa Ciranda.

Em todo contexto Ciranda, encontramos vivências que foram pensadas para desenvolver as 4 competências linguísticas:

  • ler;
  • escrever;
  • falar;
  • ouvir.

Para tanto, algumas vivências, foram organizadas para contemplar ora a escrita, ora a leitura e, em outros momentos a oralidade, dentro da mesma proposta. Por isso, temos no Programa Ciranda objetivos específicos que valorizam os três eixos da linguagem. Há, também, a preocupação tanto com o letramento (função social da escrita) quanto com a compreensão em relação ao código.

Por isso, temos no Programa sequências didáticas a partir do nome próprio, que é considerado por muitos teóricos como uma das escritas mais significativas para a criança no processo de alfabetização e que lhe permite perceber algumas regularidades do sistema de escrita.

 

Com a proposta de organização curricular da BNCC (Base Nacional Comum Curricular) por Campos de Experiência, o professor da Educação Infantil passa a ser o principal agente

de desenvolvimento e aprendizagem. Dessa forma, o protagonismo do educador como aquele que detém o saber e o compartilha com as crianças dá lugar ao protagonismo da criança — ser que interage, experimenta, questiona, constrói sentidos e produz cultura.

 

O Ciranda atua justamente nessa mudança de paradigmas. Para isso, o material oferece ao professor experiências diversificadas e significativas que asseguram às crianças um ambiente planejado, curioso, enriquecedor e acolhedor no qual elas possam brincar, experimentar, levantar e testar hipóteses, se expressar nas diferentes linguagens (oral,

escrita e corporal), se relacionar com o outro, se conhecer, participar ativamente das propostas, tomar decisões e fazer escolhas.

A valorização da criança como ser potente, que interage, imagina, deseja, observa e constrói é o centro do Programa Ciranda, que oferece um material lúdico, inovador e funcional.

Alinhado à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), o Ciranda é muito mais que um material didático para a Educação Infantil. Voltado para crianças de 2 a 5 anos, a sua proposta pedagógica é baseada em vivências e experimentações que proporcionam a essa faixa etária um melhor desenvolvimento humano por meio de brincadeiras e interações — e o mais importante: o Ciranda preserva a identidade da escola que o adota.

A proposta pedagógica do Ciranda considera o planejamento um elemento fundamental para uma presença efetiva e também para o processo de avaliação e acompanhamento do desenvolvimento infantil.

Entendemos que o planejamento elaborado pelo professor é o instrumento de orientação da gestão da sua prática com as crianças e um norte que sinaliza as diferentes habilidades a serem desenvolvidas. Um bom planejamento é dinâmico, não rígido, e por conter a avaliação torna-se o segredo para o sucesso do trabalho na escola.

Como o Ciranda contribui para a melhora da alfabetização infantil na escola

O Programa Ciranda pode ajudar a melhorar a alfabetização infantil na sua escola ou rede, uma vez que ele visa o aprendizado por meio das interações e brincadeiras, que são os dois grandes eixos estruturantes da BNCC.

Então a criança aprende brincando e brinca aprendendo. Dessa forma, ela adquire naturalmente novas habilidades e competências. Para isso, gestores e professores devem contribuir para que o aprendizado seja lúdico, prazeroso e efetivo, oportunizando momentos ricos de interação, ofertando espaços potentes que por si só, façam um convite à pesquisa e à interação de qualidade.

Nesse aspecto, o Ciranda traz uma riqueza de vivências ímpar, que poderá fazer com que a escola, professores e crianças, avancem em aspectos importantes do bom trabalho na primeiríssima Infância.

 

Sobre a importância da alfabetização infantil, a BNCC diz que “aprender a ler e escrever oferece às crianças algo novo e surpreendente: amplia suas possibilidades de construir conhecimentos nos diferentes componentes, por sua inserção na cultura letrada, e de participar com maior autonomia e protagonismo na vida social.”

 

Quer melhorar a qualidade da Educação Infantil na sua escola ou rede? Entre em contato conosco e saiba mais sobre o Programa Ciranda.

 

Conta pra gente: qual sua opinião sobre esse texto?

Todos os campos devem ser preenchidos.
Seu e-mail não será publicado.

1 Comentário para “Alfabetização Infantil: Programa Ciranda”

s
X