Mathema Mathema

Planejamento no Programa Ciranda

Por Escrito em: 27/08/2021
Compartilhe nas suas redes: [addtoany]

O planejamento no Programa Ciranda é fundamental para garantir uma presença pedagógica efetiva e, inclusive, para basear o processo de avaliação e acompanhamento infantil, uma vez que a aprendizagem ocorre em diferentes momentos da jornada das crianças no ambiente escolar.

Nesse sentido, é fundamental que o planejamento elaborado a partir da organização das propostas trazidas pelo programa não seja rígido. Nesse momento, o mais importante é que ele sirva como um instrumento de orientação da gestão em relação à sua prática junto às crianças, sinalizando quais são as diferentes habilidades que precisam ser desenvolvidas.

Com um planejamento bem feito é possível fazer uma avaliação significativa para acompanhar o desenvolvimento das aprendizagens esperadas e da organização das práticas desenvolvidas, ele é um dos segredos para o sucesso do trabalho na escola.

Foi pensando em auxiliar o professor nessa tarefa, que o Programa Ciranda propõe um grande mapa de trabalho, organizado em cada unidade, que evidencia as possíveis rotas, estabelece objetivos de aprendizagem, sugere tempos, espaços e processos.

A seguir, explicamos como o Planejamento no Programa Ciranda funciona. Continue a leitura e confira!

Quais aprendizagens são esperadas?

No planejamento das aprendizagens esperadas, levamos em consideração as seguintes perguntas-chaves:

  • O que as crianças vão investigar e descobrir nessa proposta?
  • Onde desejamos chegar?
  • Quais campos de experiências serão contemplados nessa vivência?

Com isso, o professor consegue definir o que esperar das crianças e, consequentemente, poderá facilitar a sua avaliação.

Como é feita a organização didática?

A organização didática refere-se à gestão da proposta, a qual corresponde a questões relacionadas ao lugar em que a vivência será realizada, aos materiais, à organização do espaço e da turma e à duração prevista.

Para fazer uma organização didática eficiente no planejamento do Programa Ciranda, o professor precisa ter em mente algumas perguntas-chaves, que vão orientá-lo sobre suas ações:

 

Entre as principais delas podemos citar:

  • Quais materiais serão necessários?
  • Como disponibilizá-los às crianças?
  • Como organizar o espaço de modo que ele se torne um ambiente propositor e estético, que provoque as crianças ao longo da vivência?
  • Como apresentar a proposta e os materiais envolvidos?
  • Como organizar o grupo para a vivência? Todas juntas, em pequenos grupos, individualmente?
  • Em quanto tempo essa proposta pode ser desenvolvida? Em qual momento do dia ela se realizará?
  • Em qual lugar é melhor realizá-la? Em um espaço interno ou externo?

Como é a estrutura da vivência no Programa Ciranda?

O material do Programa Ciranda que o professor receberá, mostra quais as ações necessárias para garantir uma vivência produtiva, sem deixar de considerar as interações entre as crianças, o adulto e o objeto de investigação.

 

Além disso, é possível ter acesso a um box “importante”, o qual foi organizado para destacar algo a respeito de alguma prática ou de um conceito a ser discutido com as crianças.

As principais perguntas-chaves que fazem parte da estrutura da vivência são:

  • Como engajar e envolver as crianças na proposta?
  • Como promover uma boa interação entre elas?
  • Quais ações são previstas para que elas realizem investigações e descobertas?
  • Quais as boas perguntas que provocarão as crianças a ampliar as suas pesquisas?
  • Quais registros estão previstos?
  • Como finalizar a proposta? O que será ou não socializado? De que forma?

Como a avaliação é realizada?

À medida que as propostas são conduzidas, o Programa Ciranda ajuda o professor a acompanhar e intervir ao longo da vivência. O item “Pistas para avaliação” auxilia no acompanhamento das aprendizagens das crianças. Para organizar esse item, algumas questões foram levadas em consideração, tais como:

  • Ao longo do desenvolvimento da vivência, o que observar no nível coletivo e individual?
  • Qual a pauta para guiar um olhar que possa de fato ajudar o professor a perceber, ver e constatar para descobrir e intervir?
  • Avaliar a própria proposta: a proposta favoreceu a experiência e a descoberta pelas crianças?
  • O espaço e os materiais foram importantes?
  • O tempo foi suficiente?
  • Os agrupamentos fizeram sentido?
  • O que é preciso rever?

 

O planejamento visa prever e organizar os espaços e materiais, levando-se em conta os interesses e as necessidades das crianças, as possibilidades e criação de cada professor, de cada escola e os possíveis espaços de exploração.

Qualquer lugar pode se transformar em um ambiente educativo potente, desde que o planejamento considere a importância da qualidade da experiência, da adequação necessária, do dinamismo que pode ser dado, da personalização, da flexibilidade e do ambiente.

 

O Programa Ciranda defende o direito da criança ser criança. Ele foi desenvolvido para que ela experimente e vivencie o aprendizado. Ele incentiva que todo lugar é lugar de aprender e traz a criança para o centro do processo de aprendizagem, promovendo vivências que a instigue a aprender brincando, experimentando e respeitando o seu direito de ser criança.

 

A proposta pedagógica do Programa Ciranda é baseada em vivências e experimentações que proporcionam à criança um melhor desenvolvimento humano por meio de brincadeiras e interações.

 

Conheça mais sobre o Programa Ciranda, entre em contato pelo WhatsApp (11) 97113-8652 e tire todas as suas dúvidas!

 

Conta pra gente: qual sua opinião sobre esse texto?

Todos os campos devem ser preenchidos.
Seu e-mail não será publicado.

s
X