Objetivos

  • Fazer estimativa em medidas
  • Medir usando instrumentos não padronizados
  • Identificar a necessidade de padronização
  • Analisar o melhor instrumento para realizar uma medição

Recomendação

A partir do 3º ano

Organizado por

Pricilla Cerqueira, Msc Educação Matemática pela Universidade Santa Úrsula – RJ

Materiais

  • Fita métrica, régua, trena ou metro de carpinteiro, barbante, tesoura sem ponta;
  • Canudos de refrigerante..

 

1ª parte

Medir nada mais é que fazer uma comparação. Isto é, só se pode medir algo ou alguma coisa comparando-a com outra coisa de mesma natureza que será a unidade de medida. Desta forma medimos o comprimento com um outro comprimento, uma área com outra área, um volume com outro volume e um ângulo com outro ângulo. Para executar uma medição necessitamos de 3 ítens:

  • escolher um objeto para funcionar como unidade de medida;
  • verificar quantas vezes a unidade de medida cabe no objeto a ser medido;
  • encontrar um número que possa expressar o resultado da medição.

Nesta primeira etapa exploraremos alguns dos princípios básicos de medição.

Proponha para a turma que eles discutam em trios como podem medir a largura da porta da sala, do caderno, do lápis, da borracha e a altura de uma cadeira do chão ao acento, sem utilizar régua, fita métrica ou trena. A ideia é explorar unidade não convencionais de medida.
Deixe que conversem a respeito e peça que anotem as soluções que encontraram em cada caso. Depois, proponha uma conversa na sala de modo que os grupos explicitem as sugestões que têm para fazer cada medição. Organize no quadro, por objeto, uma lista com as ideias dos grupos. Procure problematizar:

  • Porque escolheram o palmo para medir a largura da porta? Poderia ser o passo?
  • Porque não escolheram o passo para medir o comprimento do caderno?

Esse diálogo permite que compreendam que a escolha da unidade está relacionada ao objeto que será medido.

2ª parte

Entre as propostas apresentadas por eles, escolham conjuntamente algumas unidades para fazer a medição, por exemplo: palmo, um pedaço de barbante igual a sua altura, canudos e o pé.

Disponibilize para cada trio uma tabela como essa abaixo para que cada um anote as medidas.

imagem_vamos_medir

3ª parte

Converse com a turma sobre as medições. Questione:

  1. Qual é a altura da porta utilizando o palmo como unidade de medida? Todos acharam a mesma resposta?
  2. Qual a largura da porta utilizando o pé como unidade de medida? Todos acharam o mesmo resultado?
  3. Qual unidade você usou para medir a borracha? Explique a forma que pensou.
  4. O que vocês mediram com o barbante? Como saber se o objeto que vocês mediram com o barbante é maior, menor ou igual a outro objeto medido pela régua?
  5. Quantos canudos foi preciso para medir a largura da porta? Caso não tenham utilizado canudos, estimem e se quiser depois confiram o resultado.

É importante que eles percebam que dependendo da unidade (palmos e pés por exemplo), podem surgir diferentes respostas devido a variação do “tamanho” dessas unidades em cada pessoa. Também pode haver medições imprecisas, como no caso do barbante com a altura (o comprimento da cadeira até o chão é menor do que a altura do João é uma resposta imprecisa), devido a e que a não padronização dos instrumentos de medida faz com que o mesmo objeto tenha várias medidas por isso a necessidade de padronização.

4ª parte

Proponha que realizem as mesmas medições, agora usando régua, metro de carpinteiro ou fita métrica, e anotem em uma tabela igual a anterior, marcando os comprimentos em centímetros. Depois que finalizarem, converse novamente a respeito de como decidiram usar a régua ou a fita métrica e por que. Explore os números obtidos e sua variação. Questione:

  1. O que vocês perceberam?
  2. Qual instrumento você usou para medir a porta? Todos usaram o mesmo instrumento?
  3. E para medir a borracha? E o lápis? Todos usaram o mesmo instrumento?
  4. O que vocês acham que é melhor usar para medir a largura da porta? Por quê?
  5. Vocês acham que é importante ter um mesmo instrumento para medir um mesmo objeto? Por quê?

É bom que os alunos percebam que a escolha dos instrumentos de medida depende do que se quer medir, e que a unidade padrão (por exemplo o centímetro) elimina a diversidade de respostas no resultado da medição. Analise com eles ainda a ideia de precisão em medidas e porque ela é importante. Experiências assim em sala de aula enriquecem e fazem com que os alunos aprendem a estimar, medir e comparar, já que usam o princípio de que só se aprende a medir, medindo.

 

Para saber mais

Assista a animação (clique aqui) sobre medir com instrumentos não padronizados.